webmail
CMT • Coleção Micológica de Trichocomaceae

Histórico

A CMT surgiu a partir do esforço de identificar e preservar cepas de fungos filamentosos isolados de produtos agrícolas e rações de uso animal produzidos no Brasil.

O principal escopo são as espécies micotoxígenas de importância à saúde humana e animal, dos gêneros Aspergillus e Penicillium, além de Fusarium (gênero pertencente à família Nectriaceae).

Esses fungos filamentosos são considerados importantes por seus efeitos carcinogênicos, teratogênicos e mutagênicos (OMS, Agência Internacional de Pesquisa do Câncer) e, também, pelos severos impactos negativos na economia e agroindústria (CAST).

Pesquisas realizadas em colaboração com o Núcleo de Micologia e Micotoxicologia da UFRRJ-RJ e o Departamento de Microbiología e Inmunología da Universidad Nacional de Rio Cuarto - Córdoba (Argentina) permitiu intensificar a expansão do acervo pelo incremento de depósitos de novas cepas.

Em 2006-2007, foram realizadas reformas de infra-estrutura para atender a adequação do espaço físico às normas e diretrizes vigentes de biossegurança para manipulação e armazenamento de microrganismos classificados em nível biológico 2.

No ano de 2008, foi implantada a política de gestão e diagnóstico ambiental na CMT.

Com o objetivo de criar fluxogramas de processos que permitam a avaliação de aspectos e impactos ambientais, foi desenvolvido um plano de gerenciamento de resíduos com informações sobre o uso de insumos, descarte de resíduos químicos, descarga de efluentes e emissões, de acordo com o Programa de Produção Mais Limpa (UNIDO e UNEP).

Atualmente, o apoio financeiro recebido de diversos órgãos de fomento - FINEP, FAPERJ, CNPq, possibilitou impulsionar a implementação do Sistema de Informação de Coleções de Interesse Biotecnológico (SICol) na CMT e a capacitação da Coleção para compor o CRB-FIOCRUZ, com a finalidade de atuar como Centro de Recursos Biológicos no País e permitir a integração com outros sistemas de informação nacionais e internacionais.


© 2018 Coleção Micológica de Trichocomaceae, Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz